Terra dos Biscoitos também é do Rock

Como nos festivais de rock norte-americanos do final de década 1960, São Tiago detonou mais uma edição do Luastock na fazenda Lua Dourada. Entre quinta-feira (21) e sábado (23) pelo menos dez bandas se revezaram no palco. O evento lembrou o movimento de contracultura que marcou a geração eletrizada por Janis Joplin e Jimi Hendrix

O Festival de rock Luastock chegou a sua nona edição com muito rock n roll durante o feriadão de Tiradentes. Pelo menos dez bandas desfilaram pelo palco montado na fazenda Lua Dourada, na estrada que liga São Tiago a Morro do Ferro. Jam sessions, pessoas acampadas e o clima de Paz e Amor deram o ritmo para a festa que recupera movimentos como os hippies e os beatiniks.

“O Luastock surgiu a partir de uma pequena festa à fantasia. No ano seguinte, a galera decidiu repetir a festa, mas sem fantasia, só um show. E aí foi chamando os amigos e tomou essa proporção”, lembra o dono da Lua Dourada e um dos organizadores do Festival, Thiago Almeida.

Proporção que chama atenção pelos números. Com público majoritariamente de outras cidades, o organizador contabiliza pelo menos 400 pessoas acampadas em frente ao palco montado na varanda da fazenda. Juntando o pessoal das bandas e convidados, o festival reuniu cerca de 450 amantes do rock.

“Esse é Festival não é fechado para roqueiros, mas vem que tem a ver com essa cultura, já que aceitamos apenas bandas de rock. Há várias tribos que vem confraternizar. Mas nós queremos recriar um ambiente de rock n roll. Juntamos o nome da fazenda com o festival de Woodstock e fizemos o nosso evento, que carrega o espírito de amizade, de companheirismo. É isso que nós queremos preservar, essa sempre foi a meta, nunca foi o lado financeiro. Eu costumo dizer que é a celebração da amizade”, completa Thiago.

Luastock de mel

Os belo-horizontinos Lana e Rani se casaram há menos de uma semana do Festival e decidiram: o Luastock é o destino de Lua de Mel. “Nós já tínhamos vindo aqui antes, apaixonamos com o lugar e tinha que ser aqui a nossa Lua de Mel”, diz Lana.

Rani lembra que o casal “sempre curtiu o rock n roll, a gente toca na noite fazendo acústicos de rock n roll e esse foi o local escolhido, porque a gente já viveu muita coisa aqui no Luastock”, diz Rani.

Outra belo-horizontina, Maria dos Anjos, não estava em Lua de Mel, mas escolheu o festival de rock como destino do feriadão.

Essa é a primeira vez que ela participa do Luastock e diz que gostou de tudo. “Amei, achei a Fazenda linda, cheia de frutas, morangos suspensos”, observou.

Perguntada como é acampar num festival de roque, Maria diz que tem que entrar no pique. “Não dá para descansar. Rock n roll direto, direto, direto” afirma a publicitária que virou fã do evento em São Tiago.

Reportagem e fotos: Douglas Caputo


Materia original: http://uainoticia.com.br/2016/04/25/terra-dos-biscoitos-tambem-e-do-rock/


Thiago em jam session com Vagão Progressivo (Foto: Douglas Caputo)

Rock na veia (Foto: Douglas Caputo)