História

Gamelas e Vargem Alegre

Por volta de 1708, bandeirantes espanhóis que ali chegam, à procura de ouro na Fazenda das “Gamelas” e na Fazenda da “Vargem Alegre”, fundaram o primeiro núcleo populacional que hojé é o município de São Tiago. O início do arraial, assim como em outras localidades, é marcado pela construção de uma capela.

Foi a 02 de dezembro de 1761 que o primeiro bispo de Mariana, Dom Frei Manuel da Cruz, concedeu provisão aos moradores so sítio entre os rios do Peixe e do Jacaré para ergerem um a capela da invocação de São Tiago Maior e Santana. No assentamento feito pelo Juízo Eclesiástico da Diosece (15/06/1763), subescrito pelo cônego Inácio Correa de Sá e por monsenhor Júlio de Paula Dias Bicalho, secretário do bispado, consta que “se encontrando livre de qualquer encargo, a doação para o patrimônio da Capela de São Tiago e Santana é feita sem prejudicar a terceiros, e que os bens valem e redem quantia suficiente para a sua manutenção, julgo bom o patrimônio, que aceiro para a referida capela, e mando que para título de passe a sentença”.

São Tiago foi a capela filial de São João Del Rey até 1825, quando, por alvará imperial de 29 de agosto desse ano, com as de Bom Sucesso e Santo Antônio do Amparo, foram desligadas de São João Del Rey.

Em 20 de outubro de 1849, a Capela de São Tiago foi desmembrada da de Bom Sucesso e incorporada à paróquia de Lages, atualmente Rezende Costa.

Os historiadores da região informam que São Tiago foi fundada por bandeirantes espanhóis que vieram à cata do ouro no local chamado Vargem Alegre, na Fazenda das gamelas, do padre José Manuel, a 6Km da cidade. Consta que o Padre José Manoel, proprietário do Morro Vigia, próximo à Fazenda das Gamelas, mandou fazer um cacho de bananas de ouro, doando-o ao rei de Portugal. O soberano, por sua vez, mandou prender e castigar o religioso, por supor-se dono da terra, uma vez que o Brasil pertencia à metrópole européia.

Em 1853, os moradores do Distrito de São Tiago dirigiram apelo ao governo, no sentido de elevar curato a paróquia.

O primeiro vigário daquela freguesia foi o padre José Mendes dos Santos. A Lei nº 336, de 27 de dezembro de 1948, criou o município de São Tiago, com o território desmembrado do de Bom Sucesso.